segunda-feira, 14 de março de 2016

A verdade sobre magreza de Padre Marcelo Rossi


Sacerdote disse que antes estava inchado por causa de medicamentos.


O Padre Marcelo Rossi declarou,  que sua aparência magra é um sinal de bem-estar e negou estar doente. “Essa magreza é saúde. Eu antes estava inchado, com retenção de líquido. Graças a Deus, com a dieta, com alimentação sadia, tirei fora. As pessoas hoje perguntam ‘padre, você está doente?’. Eu estou com saúde”, explicou.
O religioso esclareceu que o inchaço era causado por anti-inflamatórios que ele tomava para aliviar dores que sentia na coluna. “Com autorização médica e com a dor, eu acabava tomando e eu acabei inchando. Hoje, eu não tomo nenhum remédio, graças a Deus”, disse.
Ele, inclusive, explicou que teve que lutar contra a depressão sem tomar remédios por conta desse medicamento que ele já tomava. Já curado da doença, Padre Marcelo contou que foi assim que o livro surgiu e que ele considera essa nova obra um “diário de como sair de uma depressão”.
Segundo ele, um dos principais motivos para que ele passasse pelo problema foi a solidão. Alguns fiéis chegaram a cogitar que o padre estaria com alguma doença grave, mas ele negou qualquer distúrbio alimentar. “Estou ótimo. Falaram que estava com câncer, diabetes e até aids. Mas tive depressão, da qual já estou curado, sem ter precisado de remédio ou ajuda médica. Deus quis que eu passasse por isso para levar às pessoas este ensinamento, de que todos podemos ter e que precisamos de ajuda para curá-la”, contou ele , o religioso tinha 128kg. Em 2014, chegou a pesar 60kg.
Atualmente com 85kg, Marcelo Rossi contou o que desencadeou a depressão. Segundo ele, tudo começou quando seu cachorro morreu. Ele passou a se sentir sozinho e isolado. Pouco depois, ele sofreu um acidente doméstico e fraturou o pé, precisando ficar na cadeira de rodas. “Engordei muito no período de cadeira de rodas. Comecei a fazer uma dieta maluca e só comia alface e hambúrguer, mas não percebi que estava ficando anoréxico. Olhava no espelho e achava que precisava emagrecer mais”, desabafou.
Marcelo, que classifica a sensação de vazio como “inexplicável”, contou ainda que perdeu a alegria de viver, mas nunca pensou em suicídio. Ele também se arrepende de não acreditar que depressão existia durante boa parte da vida. “Deus me permitiu que eu passasse por algo em que eu não acreditava. Achava que era frescura. Não é”, contou.


Sem comentários:

Enviar um comentário